Pesquisar este blog

terça-feira, 24 de setembro de 2013

REALISMO E NATURALISMO NO BRASIL

OS MOVIMENTOS CULTURAIS SE APRESENTARAM AO LONGO DA HISTÓRIA DAS MAIS DIFERENTES FORMAS E  LINGUAGENS, E SIGNIFICAM ESTABELECER MUDANÇAS NA FORMA DE PRODUZIR ARTE.


DENTRE OS VÁRIOS MOVIMENTOS CULTURAIS, HOJE VAMOS DESTACAR OS MOVIMENTOS LITERÁRIOS REALISMO E NATURALISMO NO BRASIL, ENTRE OS ANOS DE 1881 E 1900.







SURGIDOS COMO REAÇÃO AO SENTIMENTALISMO ROMÂNTICO, INICIAM-SE O REALISMO COM A PUBLICAÇÃO DE MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS (MACHADO DE ASSIS) E O NATURALISMO COM O MULATO (ALUÍSIO DE AZEVEDO) EM 1881.


O BRASIL, NESSE PERÍODO, VIVE MOMENTOS DECISIVOS: RECÉM PROCLAMADA
A INDEPENDÊNCIA, AGITA-SE A CAMPANHA ABOLICIONISTA E REPUBLICANA: CORRE MAIOR FORTALECIMENTO DO EXÉRCITO; ACONTECE A GUERRA DO PARAGUAI, HÁ O AUMENTO SUBSTANCIAL DE IMIGRANTES QUE, SOBRETUDO NA LAVOURA CAFEEIRA, VÊM SUBSTITUIR O BRAÇO ESCRAVO, O PAÍS ENTRA NUM PROCESSO INICIAL DE URBANIZAÇÃO E INDUSTRIALIZAÇÃO.

NO CAMPO DAS IDEIAS, DESTACA-SE A IMPORTÂNCIA DAS FACULDADES DE DIREITO DO RECIFE E DE SÃO PAULO, CUJA JUVENTUDE ACADÊMICA SE DEIXAVA LEVAR PELAS IDEIAS REVOLUCIONÁRIAS VINDAS DA EUROPA (SOBRETUDO INGLATERRA E FRANÇA), ASSIM RENOVANDO A MENTALIDADE BRASILEIRA, ABRINDO-SE A UMA VERDADEIRA REVOLUÇÃO POLÍTICA E CULTURAL.


PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS

  • OBJETIVIDADE: EM OPOSIÇÃO AO SUBJETIVISMO ROMÂNTICO, O REALISMO E O NATURALISMO BUSCAM A FIDELIDADE AO REAL ATRAVÉS DA OBSERVAÇÃO E DA PESQUISA.


  • IMPESSOALIDADE: O ESCRITOR REALISTA ADOTA UMA ATITUDE NEUTRA DIANTE DAQUILO QUE ESTÁ NARRANDO, EVITANDO EMITIR SUAS OPINIÕES E SENTIMENTO.


  • ANÁLISE PSICOSSOCIAL DA PERSONAGEM: PROPONDO-SE A REPRESENTAR O SEU MUNDO INTERIOR, ANALISANDO SEU CARÁTER, MOTIVAÇÕES E INTERESSES.


  • CIENTIFICISMO: ADAPTANDO E AMPLIANDO À LITERATURA CERTOS PRINCÍPIOS E PROCEDIMENTOS DO MÉTODO EXPERIMENTAL, O ESCRITOR PRETENDE FAZER UMA VERDADEIRA "LITERATURA CIENTÍFICA", COMO RESULTADO DE SUAS ANÁLISES E DADOS OBTIDOS EM SUA PESQUISA DA REALIDADE.



  • O PATOLÓGICO E A CRÍTICA FERRENHA: OS DESEQUILÍBRIOS SOCIAIS E INDIVIDUAIS COM: MISÉRIAS SOCIAIS, ADULTÉRIOS, ASSASSINATOS, BÊBADOS, LOUCOS, HOMOSSEXUAIS, CORTESÃS, INCESTUOSOS, DESFILAM JUNTOS COM OS BURGUESES MESQUINHOS, PORÉM SUA VISÃO DETERMINISTA LEVA A UMA DESCRENÇA NAS SOLUÇÕES, FECHANDO-SE NUMA PESSIMISMO FATALISTA.




PRINCIPAIS AUTORES

MACHADO DE ASSIS (1839 - 1908)

NASCEU EM 21 DE JUNHO DE 1839, NO RIO DE JANEIRO. AOS 25 ANOS INICIOU SUA CARREIRA LITERÁRIA COM CRISÁLIDAS POEMAS. DEDICOU-SE AO JORNALISMO AO MESMO TEMPO EM QUE TRABALHA NO FUNCIONALISMO PÚBLICO, ONDE EXERCEU IMPORTANTES CARGOS.DESENVOLVEU FECUNDA CARREIRA DE ESCRITOR: INÚMERAS CRÔNICAS, ARTIGOS DE CRÍTICA LITERÁRIA, UNS DUZENTOS CONTOS PUBLICADOS EM JORNAIS E LIVROS, VÁRIAS PEÇAS DE TEATRO, QUATRO LIVROS DE POEMAS E NOVE ROMANCES. FOI PRESIDENTE E FUNDADOR DA ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS.

É O MAIOR REPRESENTANTE DAS LETRAS EM LÍNGUA PORTUGUESA JUNTO COM O PORTUGUÊS EÇA DE QUEIROZ. 


ALUÍSIO DE AZEVEDO (1857 - 1913)

NASCEU EM SÃO LUÍS DO MARANHÃO EM 14 DE ABRIL DE 1857, ONDE INICIOU SUA CARREIRA LITERÁRIA EM 1880 COM UMA LÁGRIMA DE MULHER, OBRA SENTIMENTAL EM ESTILO ROMÂNTICO.

ALÉM DE O MULATO (1881) ESCREVEU TAMBÉM O CORTIÇO (1890) ROMANCE SOCIAL NATURALISTA QUE TEM COMO TEMA UMA CRÍTICA AO CAPITALISMO SELVAGEM, POIS MOSTRA A AMBIÇÃO E  A EXPLORAÇÃO DO HOMEM PELO PRÓPRIO HOMEM.




 TEATRO

ARTHUR AZEVEDO (1855 - 1908)

IRMÃO DE ALUÍSIO DE AZEVEDO, ARTHUR PASSOU A MAIOR PARTE DO TEMPO DE SUA VIDA NO RIO DE JANEIRO PARA ONDE SE MUDOU EM 1873. JORNALISTA. CONTISTA, CRONISTA E TEATRÓLOGO. BUSCOU INSPIRAÇÕES NA VIDA CARIOCA, POR MAIS DE DÉCADAS, SUA OBRA REGISTROU A EVOLUÇÃO DA ENTÃO CAPITAL BRASILEIRA. O BILONTRA (1885), O CARIOCA (1886), O TRIBOFE (1892), E A CAPITAL FEDERAL (1897) SÃO OBRAS DE MAIOR DESTAQUE.


 



CONFIRA TAMBÉM

OS FILMES A SEDUTORA MADAME BOVARY DE VINCENTE MINNELLI, GERMINAL DE CLAUDE BENI E O PRIMO BASÍLIO DE DANIEL FILHO. ALÉM DOS LIVROS JÁ CITADOS, O ATENEU DE RAUL POMPÉIA, O BOM CRIOULO E A NORMALISTA DE ADOLFO CAMINHA, LUZIA-HOMEM DE DOMINGOS OLÍMPIO, O CRIME DE PADRE AMARO, O PRIMO BASÍLIO E OS MAIAS DE EÇA DE QUEIROZ, MADAME BOVARY DE GUSTAV FLAUBERT, GERMINAL DE ÉMILE ZOLA, BEL-AMI E UNE VIE DE GUY DE MAUPASSANT.





Texto publicado no Informativo Freguesia Velha de Capão Bonito-SP - Ano II - Bimestral - nº 7 - Julho/Agosto/2009 (Artigo não assinado)




Crédito das Imagens:

http://www.slideshare.net/martinsramon/realismo-474354 

http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-462973202-madame-bovary-gustave-flaubert-capa-dura-_JM 
 

sábado, 7 de setembro de 2013

A TRIGONOMETRIA E OS FENÔMENOS PERIÓDICOS NA MÚSICA

NESSA POSTAGEM IREMOS FALAR UM POUCO SOBRE A RELAÇÃO DA MATEMÁTICA, EM ESPECIAL A TRIGONOMETRIA E OS FENÔMENOS PERIÓDICOS, COM OS SONS MUSICAIS.







ATRIBUEM-SE AOS PITAGÓRICOS AS PRIMEIRAS INVESTIGAÇÕES VISANDO DESCOBRIR MODELOS MATEMÁTICOS QUE EXPLICASSEM O COMPORTAMENTO DOS SONS MUSICAIS. E A PRIMEIRA DESCOBERTA DECORRENTE DESSAS INVESTIGAÇÕES FOI A DE QUE A ALTURA DO SOM PRODUZIDO POR UMA CORDA MUSICAL É INVERSAMENTE PROPORCIONAL AO COMPRIMENTO DESSA CORDA: QUANTO MAIS CURTA, MAIS ALTO O SOM PRODUZIDO POR ELA. TRATA-SE MUITO PROVAVELMENTE DO MAIS ANTIGO EXEMPLO, NA HISTÓRIA, DE LEI CIENTÍFICA DETERMINADA EMPIRICAMENTE. OS PITAGÓRICOS DESCOBRIRAM TAMBÉM QUE, SE OS COMPRIMENTOS DE DUAS CORDAS IGUALMENTE ESTICADAS ESTÃO UM PARA OUTRO COMO A RAZÃO DE DOIS NÚMEROS INTEIROS, OS SONS PRODUZIDOS POR ELAS SÃO HARMÔNICOS, POR EXEMPLO, SE UMA CORDA TEM METADE DO COMPRIMENTO DA OUTRA (RAZÃO 1/2), AS CORDAS PRODUZEM SONS QUE SE COMBINAM AGRADAVELMENTE PARA O OUVIDO. ESSES FATOS LEVARAM OS PITAGÓRICOS A ELEGER A MÚSICA COMO UMA DAS GRANDES DA MATEMÁTICA (AS OUTRAS SÃO A ARITMÉTICA, A GEOMETRIA E A ASTRONOMIA) E OS NÚMEROS INTEIROS POSITIVOS E SUAS RAZÕES COMO A CHAVE PARA A EXPLICAÇÃO DO UNIVERSO.

DEPOIS DISSO, O ESTUDO MATEMÁTICO DO SOM SOMENTE SERIA RETOMADO NO SÉCULO XVII, IMPULSIONADO POR PROGRESSOS MATEMÁTICOS E TECNOLÓGICOS NECESSÁRIOS. QUANTO À MATEMÁTICA, FOI DECISIVA A CRIAÇÃO DO CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL, COM SEUS PODEROSOS MÉTODOS DE ANÁLISE DOS FENÔMENOS FÍSICOS. NO QUE SE DIZ RESPEITO À TECNOLOGIA, É DE DESTACAR A INVENÇÃO DO RELÓGIO DE PÊNDULO, INSTRUMENTO QUE PERMITA MEDIR PEQUENAS FRAÇÕES DE TEMPO.

SÓ NO SÉCULO XIX, PORÉM, EM GRANDE PARTE DEVIDO À GENIALIDADE DO MATEMÁTICO FRANCÊS JEAN BAPTISTE FOURIER (1768-1830), O ASSUNTO TOMOU UM IMPULSO DECISIVO. APESAR DE SUA ORIGEM HUMILDE, FOURIER CONSEGUIU ESTUDAR NA ESCOLA MILITAR DE SUA CIDADE NATAL, POR INTERFERÊNCIA DO BISPO LOCAL, IMPRESSIONADO COM SUA INTELIGÊNCIA. COMO SUA CONDIÇÃO SOCIAL NÃO LHE PERMITIA ALCANÇAR  O OFICIALATO, TORNOU-SE PROFESSOR DA PRÓPRIA ESCOLA, EM JUSTO RECONHECIMENTO A SEU ENORME TALENTO MATEMÁTICO. LOGO, PORÉM SEUS MÉRITOS CIENTÍFICOS ULTRAPASSARAM OS  LIMITES DA CIDADE: AOS 21 ANOS DE IDADE, ELE TEVE SEU PRIMEIRO TRABALHO DE PESQUISA ACEITO PELA ACADEMIA DE CIÊNCIAS DE PARIS. EM 1795, JÁ SE PROJETANDO CIENTIFICAMENTE, TORNOU-SE PROFESSOR NA RECÉM-CRIADA ESCOLA NORMAL SUPERIOR DE PARIS; LOGO DEPOIS FOI NOMEADO ASSISTENTE DE LAGRANGE E MONGE, DOIS DOS MAIORES MATEMÁTICOS DA ÉPOCA, NA ESCOLA POLITÉCNICA.

CHAMA A ATENÇÃO AA INTENSA ATIVIDADE POLÍTICO-ADMINISTRATIVA DE FOURIER. ENTRE OUTRAS COISAS, ENGAJOU-SE RESOLUTAMENTE NA REVOLUÇÃO FRANCESA E FOI PREFEITO DO DEPARTAMENTO DE ISÈRE, COM SEDE EM GRENOBLE, DE 1802 A 1812. FOI NESSE PERÍODO QUE FOURIER INICIOU SEUS ESTUDOS SOBRE A PROPAGAÇÃO DO CALOR, OS QUAIS CULMINARIAM COM A NOTÁVEL OBRA THÈORIE ANALYTIQUE DE LA CHALEUR (TEORIA ANALÍTICA DO CALOR), DE 1822. DEVIDO A SUAS PESQUISAS SOBRE ESSA MATÉRIA, FOURIER É CONSIDERADO O PAI DA FÍSICA MATEMÁTICA, CIÊNCIA CUJO OBJETIVO É O ESTUDO MATEMÁTICO DOS PROBLEMAS FÍSICOS COM O MÍNIMO POSSÍVEL DE HIPÓTESES FÍSICAS. 
EM 1807, NO PRIMEIRO ARTIGO SOBRE ESSE ASSUNTO, FOURIER ENUNCIOU UM TEOREMA QUE PODE SER RESUMIDO DA SEGUINTE MANEIRA: TODA FUNÇÃO PERIÓDICA É UMA SOMA DO TIPO:

 a1 sen b1t1 + a2 sen b2t2 + a3 sen b3t3 + ..., (1)

EM QUE AS FREQUÊNCIAS b1, b2, b3,...DAS FUNÇÕES SENOIDAIS DAS PARCELAS SÃO MÚLTIPLAS DA MENOR DELAS. OS MATEMÁTICOS DA ÉPOCA ENCARARAM COM MUITO CETICISMO ESSE RESULTADO; NA  VERDADE, ELE NÃO É TÃO GERAL COMO FOURIER IMAGINAVA, MAS, DEVIDAMENTE APURADO COM O TEMPO, TORNOU-SE UM DOS INSTRUMENTOS ANALÍTICOS MAIS IMPORTANTES DA FÍSICA MATEMÁTICA PARA O ESTUDO DE FENÔMENOS PERIÓDICOS.









MAS O QUE TEM A VER ESSE TEOREMA COM O SOM AFINAL? INTERESSAM-NOS PARTICULARMENTE OS SONS MUSICAIS, OU SEJA, AQUELES RESULTANTES DE UMA VIBRAÇÃO REGULAR E PERIÓDICA DE UM CORPO MATERIAL, COMO A CORDA DE UM VIOLINO OU A COLUNA DE AR DE UMA FLAUTA, POR EXEMPLO.
ENTRE OS SONS MUSICAIS, TEM PAPEL ESPECIAL O SOM PRODUZIDO PELA VIBRAÇÃO DOS BRAÇOS DE UM DIAPASÃO, QUANDO UM DELES É TANGIDO. DEVIDO A CONDENSAÇÕES E RAREFAÇÕES SUCESSIVAS, PROVOCADAS PELO VAIVÉM DE CADA BRAÇO, E À TENDÊNCIA À EQUALIZAÇÃO DA PRESSÃO DOA R, UMA MOLÉCULA VIZINHA QUALQUER PASSA A MOVER-SE PARA A FRENTE E PARA TRÁS, EM UMA REGIÃO LIMITADA EM TORNO DA POSIÇÃO QUE OCUPAVA ANTES DE A VIBRAÇÃO SE INICIAR. TAL COMPORTAMENTO LEVA À SUPOSIÇÃO DE QUE O DESLOCAMENTO y DE UMA MOLÉCULA GENÉRICA, EM FUNÇÃO DO TEMPO t, É DADO POR UMA LEI SENOIDAL DO TIPO y = a sen bt. EXPERIÊNCIAS BEM CONDUZIDAS, COM APARELHOS COMO OS SINTETIZADORES ELETRÔNICOS, MOSTRAM QUE EFETIVAMENTE ESSA SUPOSIÇÃO É CORRETA E, PORTANTO, É NELA QUE ESTÁ A CHAVE PARA O ESTUDO DOS SONS SIMPLES.

SONS COMO O DO DIAPASÃO, QUE PODEM SER DESCRITOS PELA LEI y = a sen bt, DE FREQUÊNCIA b E AMPLITUDE a, SÃO CHAMADOS SONS SIMPLES. E CLARO, PORÉM, QUE POUCOS SONS MUSICAIS SÃO SIMPLES. E COMO SERIAM OS SONS NÃO SIMPLES OU COMPLEXOS? NO SÉCULO XIX, GEORG S.OHM (1789-1854) RESPONDEU A ESSA PERGUNTA AO PROVAR ALGO QUE OS OUVIDOS HUMANOS MAIS SENSÍVEIS SÃO CAPAZES DE PERCEBER O QUE É DE UMA IMPORTÂNCIA FÍSICA EXTRAORDINÁRIA: OS SONS COMPLEXOS SÃO COMBINAÇÕES DE SONS SIMPLES, CADA UM COM SUA FREQUÊNCIA E AMPLITUDE. OU SEJA, MOSTROU QUE A EQUAÇÃO (1), PROPOSTA POR FOURIER, É, SOB CERTAS CONDIÇÕES, UM BOM MODELO MATEMÁTICO PARA A DESCRIÇÃO DOS SONS MUSICAIS EM GERAL.









A CONFIRMAÇÃO DA VALIDADE DESSE MODELO E DA INTUIÇÃO GENIAL DE FOURIER SERIA ALCANÇADA AINDA NO SÉCULO XIX PELO ALEMÃO FERDINAND VON HEMHOLTZ (1821-1894), QUE LOGROU REPRODUZIR SONS DE INSTRUMENTOS MUSICAIS POR MEIO DE COMBINAÇÕES DE SONS SIMPLES DE VÁRIAS FREQUÊNCIAS E AMPLITUDES. ERA A ANTECIPAÇÃO DOS MODERNOS SINTETIZADORES ELETRÔNICOS.
 










Fonte:

ALMEIDA,Nilze de; DEGENSZAJN, David; DOLCE, Oswaldo; IEZZI, Gelson; PÉRIGO, Roberto.
Matemática Ciências e Aplicações. 2ª Edição - 2004 - São Paulo - Atual Editora. Pág. 138 a 139.












Crédito das imagens:

http://www.mundoeducacao.com/fisica/notas-escalas-musicais.htm

http://vestibular.uol.com.br/cursinho/simulados/semana-17-fisica.htm 

http://oguitarrista.com/blog/como-afinar-sua-guitarra-ou-violao/ 

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

MARY SHELLEY: A CRIADORA DE FRANKENSTEIN







QUEM NUNCA OUVIU FALAR, ASSISTIU ALGUM FILME OU LEU O LIVRO DO MONSTRO ATORMENTADO COM PARAFUSOS  SOLTOS, CHAMADO FRANKENSTEIN?




POIS BEM, HOJE VAMOS CONHECER UM POUCO MAIS SOBRE A ORIGEM DA HISTÓRIA DO FAMOSO  MONSTRO E DE SUA CRIADORA: MARY SHELLEY.




 A OBRA TRATA-SE NA REALIDADE DE UMA PROFUNDA REFLEXÃO SOBRE OS VALORES E OS COMPORTAMENTOS HUMANOS.




"DA CABEÇA DA MOCINHA SAIU UM MONSTRO"
GERALDO GALVÃO FERRAZ

UMA SOPA DE CARANGUEJO QUE CAIU MAL NO ESTÔMAGO É A CAUSA - FOLCLÓRICA, MAS MUITAS VEZES CITADA - DO PESADELO QUE LEVOU BRAM STOKER A CONCEBER SEU AMEDRONTADOR DRÁCULA. COM MARY SHELLEY E SEU FRANKENSTEIN FOI MUITO DIFERENTE. MARY TINHA 19 ANOS E ESTAVA FELIZ DA VIDA, EM MAIO DE 1816, JUNTO AO SEU AMADO POETA PERCY BYSSHE SHELLEY (ELES SE CASARIAM NO FIM DO ANO) FUGINDO DOS CREDORES DELE NA INGLATERRA, OS DOIS, MAIS O FILHO WILLIAM E CLAIRE CLAIRMONT, MEIA-IRMÃ DE MARY, FORAM PARA A SUÍÇA, MORAR EM UM CASARÃO TÉRREO EM MEIO À TRANQUILIDADE DE UM TERRENO COM GRAMADOS, PEQUENOS BOSQUES E VINHEDOS.

ALI, SHELLEY LOGO REENCONTROU A INSPIRAÇÃO PARA ESCREVER, ENQUANTO MARY PARECIA UMA CRIANÇA EM FÉRIAS. PASSEAVA PELO LAGO AZUL E DOURADO, ESTUDAVA LATIM E ITALIANO, LIA MONTAIGNE, VOLTAIRE E MILTON.

 LORDE GEORGE BYRON, JÁ UM POETA FAMOSO E AMANTE DE CLAIRE, ATRAVESSAVA O LAGO TODO DIA PARA ALMOÇAR OU JANTAR COM ELES. ACABOU MUDANDO-SE PARA A VILA DIODATI, A POUCOS MINUTOS DE CASA DE SHELLEY. LÁ HOSPEDOU UM MÉDICO ITALIANO, JOHN POLIDORI, DE QUEM NÃO GOSTAVA MUITO, MAS CUJA COMPANHIA SE ACOSTUMARA.

EM MEADOS DE JUNHO, REPETIDAS TEMPESTADES ESTRAGARAM O CLIMA MARAVILHOSO DOS DIAS DE MAIO, IMPEDINDO OS PASSEIOS PELO LAGO E OBRIGANDO TODOS A FICAR MAIS NAS DUAS CASAS, EM TORNO DAS LAREIRAS. A CONVIVÊNCIA NÃO AJUDOU BYRON E SHELLEY SE ENTENDEREM, POIS A FORMAÇÃO PURITANA DO SEGUNDO NÃO SE AJUSTAVA AO PENSAMENTO PAGÃO DO PRIMEIRO. LOGO O LUGAR SERIA O CENÁRIO PERFEITO PARA UM CONTO DE TERROR: AS ONDAS DO LAGO, CRISPADAS E FORTES, FAZIAM UM RUÍDO QUE SE MISTURAVA COM O VENTO QUE UIVAVA ENTRE AS ÁRVORES NAS NOITES LÚGUBRES.

A DIVERSÃO ERA LER HISTÓRIAS DE FANTASMAS, SOBRETUDO UM LIVRO QUE BYRON DESCOBRIU EM GENEBRA, UMA COLETÂNEA ALEMÃ CHAMADA "FANTASMAGORIANA" . OS DOIS POETAS TAMBÉM DISCUTIAM MUITO ALGUMAS EXPERIÊNCIAS DE DARWIN RELACIONADAS COM A CONSERVAÇÃO DE SERES APÓS A MORTE E A AÇÃO DA ELETRICIDADE SOBRE OS MORTOS.



A JOVEM SUPERA OS MESTRES

CERTA NOITE, FICOU DECIDIDO QUE CADA UM ESCREVERIA UMA HISTÓRIA SOBRENATURAL. SHELLEY COMEÇOU, MAS NÃO TERMINOU, ANATOMIA, UM RELATO INSPIRADO EM LEMBRANÇAS INFANTIS; POLIDORI FEZ UMA NARRATIVA JUNTANDO CRIATURAS SINISTRAS ESTRELADAS POR UMA MULHER COM CARA DE CAVEIRA; BYRON ESCREVEU UMA HISTÓRIA DE VAMPIRO, QUE O EQUÍVOCO POLIDORI REESCREVERIA E PUBLICARIA COMO DE SUA AUTORIA, TRÊ ANOS DEPOIS, CHAMADA O VAMPIRO. ESTIMULADA POR SHELLEY A PARTICIPAR, MARY PENSOU EM UM TEMA INFLUENCIADA PELAS CONVERSAS SOBRE ELETRICIDADE E GALVANISMO. E COMEÇOU A ESCREVER O LIVRO QUE SAIU, EM LONDRES, NO ANO DE 1818: FRANKENSTEIN, OU O PROMETEU MODERNO.

O SUCESSO DO LIVRO FEZ MARY FICAR AINDA MAIS FAMOSA QUE SEUS PAIS  ILUSTRES, O TEÓRICO ANARQUISTA WILLIAM GODWIN E A PRECURSORA DO FEMINISMO MARY WOOLSTONECRAFT. GODWIN FOI UM UM PRECURSOR DO PENSAMENTO LIBERTÁRIO E DA NÃO-VIOLÊNCIA, RESPEITADO POR TODA A INTELECTUALIDADE INGLESA, DE SHELLEY  E BYRON A WILLIAM BLAKE.
MARY WOOLSTONECRAFT, QUANDO SE CASOU COM ELE, JÁ ERA CONSIDERADA A FUNDADORA DO FEMINISMO MILITANTE, AUTORA DE LIVROS EM QUE DEFENDIA TESES COMO: "TODOS OS HOMENS SÃO SEDUTORES, PAIS DOS TIRANOS, E TODAS AS MULHERES SÃO MISERÁVEIS VÍTIMAS DO SISTEMA SOCIAL".



DESDE O NASCIMENTO, A MARCA DA TRAGÉDIA

 MARY WOOLSTONECRAFT GODWIN NASCEU EM SOMERS TOWN, NA INGLATERRA, EM 30 DE AGOSTO DE 1797. SUA MÃE MORREU 10 DIAS DEPOIS POR CAUSA DE UMA HEMORRAGIA INTERNA. POUCO APÓS, GODWIN SE CONSOLOU, CASANDO-SE COM UMA VIZINHA, MULHER MEDÍOCRE QUE SE DEDICOU A INFERNIZAR A VIDA DA PEQUENA MARY. A COISA CHEGOU A TAL PONTO QUE GODWIN RESOLVEU MANDAR MARY, AOS 15 ANOS, PARA A CASA DE UM AMIGO NA ESCÓCIA. ALI, NO MEIO DE UMA FAMÍLIA CULTA E DE ESPÍRITO LIVRE, MARY DESABROCHOU. VOLTANDO PARA LONDRES, CONHECEU UM AMIGO DE SEU PAI, O POETA SHELLEY, ENTÃO CASADO COM HARRIET. FOI PAIXÃO À PRIMEIRA VISTA.

DOIS MESES APÓS O PRIMEIRO ENCONTRO, O CASAL FUGIU E FOI VISITAR VÁRIOS PAÍSES EUROPEUS. OS PROBLEMAS FINANCEIROS DE SHELLEY ACABARAM QUANDO ELE RECEBEU UMA HERANÇA EM 1815 E OS DOIS FORAM MORAR EM NELSON SQUARE. O POETA, GENEROSO, ALÉM DE UMA PENSÃO PARA HARRIET, DEU OUTRA AO FALIDO GODWIN.

NO COMEÇO DE 1816, NASCEU WILLIAM (MARY PERDERA UMA FILHA ANTES) E ELES FORAM PARA A SUÍÇA, ONDE HOUVE A CONCEPÇÃO DO LIVRO QUE TORNOU MARY FAMOSA COMO AUTORA.
DE VOLTA À INGLATERRA, ELES SE CASARAM E FORAM MORAR EM UMA BELA CASA PERTO DO RIO TÂMISA.

MARY SE OCUPOU COM O FINAL DA REDAÇÃO DE FRANKENSTEIN, AO MESMO TEMPO QUE SE INTERESSAVA PELO RACIONALISMO E PELO SOCIALISMO. AINDA ACHOU TEMPO PARA ESCREVER UM LIVRO SOBRE SUAS VIAGENS PELA EUROPA, HISTÓRIA DE UMA VIAGEM DE SEIS SEMANAS.
SUA FILHA CLARA EVERINA NASCEU EM 1818.

INDO PARA A ITÁLIA, A FAMÍLIA SHELLEY MOROU EM MILÃO, LIVORNO E LUCCA. EM VENEZA, REENCONTRARAM BYRON.
A TRAGÉDIA LOGO OS ATINGIU; CLARA MORREU DE DISENTERIA E POUCO DEPOIS FOI A VEZ DE WILLIAM. O CASAL DESESPERADO, FOI MORAR EM FLORENÇA, ONDE NASCEU UM MENINO CHAMADO PERCY FLORENCE. NO COMEÇO DE 1822, SHELLEY ENTUSIASMOU-SE POR UMA CASA QUE DESCOBRIU ÀS MARGENS DO GOLFO DE SPENZIA. MARY, PREOCUPADA COM O ISOLAMENTO DO LUGAR NÃO SE ANIMOU MUITO.
 EM 08 DE JULHO DE 1822, SHELLEY, APESAR DO MAU TEMPO, RESOLVEU SAIR MAR AFORA COM UM AMIGO NO VELEIRO ARIEL. DURANTE DEZ DIAS, NÃO HOUVE NOTÍCIAS, ENTÃO PESCADORES ACHARAM OS CORPOS NUMA PRAIA EM VIAREGGIO.


LIVROS E DECEPÇÕES



  
ARRASADA COM A MORTE DO MARIDO, QUE SÓ TINHA 30 ANOS, MARY VOLTOU COM O FILHO PERCY PARA A INGLATERRA. EMPENHOU-SE EM REPETIR O SUCESSO DE FRANKENSTEIN, PUBLICANDO O ROMANCE VALPERGAS. EM 1826, SAIU O ÚLTIMO HOMEM, UM LIVRO DE FICÇÃO CIENTÍFICA QUE TRATA DO FIM DA HUMANIDADE NUM ESTILO QUE LEMBRA UM POUCO OS LIVROS DE H.G. WELLS. MAS, SEM CONSEGUIR GRANDE ÊXITO, MARY RESOLVEU MUDAR DE GÊNERO.
EM 1835 E 1837, ESCREVEU LODORE E FALKNER, DOIS ROMANCES AUTOBIOGRÁFICOS HOJE COMPLETAMENTE ESQUECIDOS. 

EM 1836, EM PERKIN WARBECK, ELA CONTOU A HISTÓRIA DE UM AVENTUREIRO NA ÉPOCA DA GUERRA DOS LANCASTER CONTRA OS YORK, EPISÓDIO MARCANTE DA HISTÓRIA DA INGLATERRA.

UM TANTO DECEPCIONADA COM A LITERATURA E COM PERCY, QUE NÃO DEMONSTRAVA NENHUMA CURIOSIDADE INTELECTUAL, MARY PASSOU A COLABORAR COM VÁRIAS REVISTAS, ESCREVENDO SOBRE AUTORES FRANCESES, ITALIANOS E ESPANHÓIS. TAMBÉM COMEÇOU UMA SÉRIE DE VIAGENS COM O FILHO PELO CONTINENTE EUROPEU. NO VERÃO DE 1842, TEVE UMA BREVE LIGAÇÃO COM O JOVEM ESCRITOR ALEXANDER KNOX E REENCONTROU SUA MEIA-IRMÃ CLAIRE. QUE ABRIGAVA, EM PARIS, REFUGIADOS POLÍTICOS ITALIANOS. LOGO, MARY ESTAVA APAIXONADA POR UM DELES , UM CERTO GATTESCHI, SUJEITO INESCRUPULOSO QUE POUCO DEPOIS A ABANDONOU PARA IR VIVER À CUSTA DE OUTRA MULHER.

EM 1848, PERCY CASOU-SE COM UMA VIÚVA DE QUEM MARY FICOU MUITO AMIGA. OS TRÊS FORAM  MORAR EM LONDRES, EM 1850, PASSARAM UMA LONGA TEMPORADA EM NICE. DE VOLTA À CAPITAL INGLESA, MARY FICOU DOENTE E, PARCIALMENTE PARALISADA, MORREU AOS 54 ANOS EM 1º DE FEVEREIRO DE 1851.



NAS TELAS, A IMORTALIDADE 

MAS, COM A AJUDA DO CINEMA E DO ATOR BORIS KARLOFF EM PARTICULAR, MARY SHELLEY ATRAVESSOU OS PORTAIS DA MORTE E CONTINUOU VIVA, GRAÇAS À SUA CRIATURA NASCIDA À BEIRA DO LAGO LEMANO, BATIDO PELAS TORMENTAS, AO SOM DE VENTOS RUIVANTES E TROVÕES.

CONSTA QUE É O LIVRO MAIS ADAPTADO PARA O CINEMA QUE EXISTE.
A PRIMEIRA VERSÃO FOI FEITA EM 1910, PELOS ESTÚDIOS EDISON, E NÃO HÁ MAIS NENHUMA CÓPIA. O MONSTRO SURGIU NUM CALDEIRÃO DE PRODUTOS QUÍMICOS E NÃO FEZ NENHUM SUCESSO. EM 1931, O TERCEIRO FRANKENSTEIN FOI O QUE TRANSFORMOU O MONSTRO EM UM ÍCONE DO TERROR. O DIRETOR ERA PARA SER O FRANCÊS ROBERT FLOREY E O ATOR ESCOLHIDO ERA O FAMOSO BELA LUGOSI. JAMES WHALE, UM CINEASTA INGLÊS, CONSEGUIU  AFASTAR FLOREY E CONTRATOU UM AMIGO TAMBÉM INGLÊS, COLIN CLIVE , PARA SER O DOUTOR. CONTA-SE A HISTÓRIA, NUNCA CONFIRMADA, DE QUE ELE ENCONTROU O ATOR QUE FARIA O MONSTRO NO RESTAURANTE DOS ESTÚDIOS
UNIVERSAL. ERA UM DESCONHECIDO  QUE, MESMO CONTRARIADO POR NÃO MOSTRAR O ROSTO NO FILME, DISFARÇADO POR MONTANHAS DE MAQUIAGEM APLICADAS PELO MESTRE DO MAKE-UP, JACK PIERCE, NÃO PODIA REJEITAR 125 DÓLARES SEMANAIS: BÓRIS KARLOFF.

KARLOFF NEM SEQUER TEVE SEU NOME DIVULGADO ANTES DA ESTREIA, COMO PARTE DE UMA CAMPANHA DE MARKETING PARA DEIXAR O PÚBLICO CURIOSO SOBRE QUE ATOR IRIA FAZER O MONSTRO.
O SUCESSO FOI ENORME!
O MESMO ÊXITO ACONTECEU COM A NOIVA DE FRANKENSTEIN, EM QUE KARLOFF GANHAVA COMO COMPANHEIRA A ATRIZ ELSA LANCHESTER. O RESTO É HISTÓRIA. FRANKENSTEIN TEVE INÚMERAS VERSÕES, CONTRACENOU ATÉ COM OS TRÊS PATETAS. AS MAIS SIGNIFICATIVAS RECENTEMENTE FORAM: A DOS ESTÚDIOS HAMMER, COM PETER CUSHING COMO O DOUTOR; A PARÓDIA O JOVEM FRANKENSTEIN, DE MEL BROOKS; A PROMETIDA, COM STING CONSTRUINDO UMA BELA CRIATURA, A ATRIZ JENNIFER BEALS; E A VERDADEIRA HISTÓRIA DE FRANKENSTEIN, COM O MONSTRO INTERPRETADO POR ROBERT DE NIRO.




Fonte:
Frankenstein (Mary Shelley) - Editora Ática - Tradução de Marcos Maffei - 1998
 

A MUSICAL AFFAIR: NOVO ÁLBUM DE IL DIVO





O TÃO AGUARDADO ÁLBUM DO GRUPO IL DIVO JÁ TEM NOME E DATA PARA SER LANÇADO: "A MUSICAL AFFAIR" E SERÁ LANÇADO OFICIALMENTE EM 05 DE NOVEMBRO DE 2013 (LANÇAMENTO MUNDIAL).



                                      
                                              ildivotv



O MAIS RECENTE ÁLBUM É UMA REUNIÃO DAS MELHORES CANÇÕES DA BROADWAY E CONTARÁ COM A PARTICIPAÇÃO DE VÁRIAS ESTRELAS CONSAGRADAS DA MÚSICA, ENTRE ELAS BARBRA STREISAND, MICHAEL BALL, NICOLE SCHERZINGER, KRISTIN CHENOVETH E HEATHER HEADLEY.





 AS FAIXAS QUE COMPÕEM O ÁLBUM SÃO:

1 - MEMORY (COM NICOLE SCHERZINGER)

2 -  CAN YOU FELL THE LOVE TONIGHT (COM HEATHER HEADLEY)

3 - BRING HIM HOME 

4 - TONIGHT

5 - ALL I ASK OF YOU (COM KRISTIN CHENOVETH)

6 - SOME ENCHANTED EVENING 

7 - WHO CAN I TURN TO?

8 - WHO WANTS TO LIVE FOREVER  

9 - YOU'LL NEVER WALK ALONE

 10 - IF EVER I WOULD LEAVE YOU

11 - LOVE CHANGES EVERYTHING (COM MICHAEL BALL)

12 - THE MUSIC OF THE NIGHT  (COM BARBRA STREISAND)



SAIBA MAIS:

http://www.ildivo.com/uk/news/il-divo-announce-sixth-studio-album 



http://www.ildivo.com/uk/news/il-divo-are-coming-broadway

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

NOTÍCIAS SOBRE NOVO ÁLBUM DE IL DIVO










ATENÇÃO FÃS DO GRUPO IL DIVO!


NO PRÓXIMO DIA 05 DE SETEMBRO O GRUPO ANUNCIARÁ DETALHES SOBRE O PRÓXIMO ÁLBUM QUE SERÁ LANÇADO AINDA ESSE ANO.

FIQUEM LIGADOS!


PARA MAIORES INFORMAÇÕES:
http://www.ildivo.com/uk/news/il-divo-new-album-announcement-let-countdown-begin 




A MUSICAL AFFAIR: NOVO ÁLBUM DE IL DIVO