Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

11 JANEIRO: DIA DE CONTROLE DA POLUIÇÃO POR AGROTÓXICOS





A utilização de agrotóxicos, pesticidas e herbicidas compromete a vida e a saúde das pessoas no mundo inteiro, e no Brasil não é diferente. Muitos desses agrotóxicos foram desenvolvidos durante a 1ª Guerra Mundial e utilizados amplamente até que se tomassem providências para que minimizar essa contaminação ambiental.

O Brasil encontra-se entre os maiores consumidores de agrotóxicos do mundo, tanto os de uso agrícola, domésticos e os utilizados em campanhas de saúde (no caso da Dengue). Ocorre a falta de controle do uso dessas substâncias químicas e o desconhecimento da população em geral.

Os agrotóxicos mais utilizados no Brasil são os inseticidas e os herbicidas. Os inseticidas formam 3 grupos: os organoclorados, organofosforados e carbamatos e as pietrinas. Já os herbicidas têm como grupos mais importantes os clorofenoxóis, dinitrofenóis e os Paraquat.

Os organoclorados (DDT) são os que mais persistem no meio ambiente, podendo permanecer por 30 anos, são absorvidos pela via oral, respiratória e dérmica, por provocarem câncer foram banidos de vários países.

Os organofosforados e carbamatos são os inseticidas mais utilizados atualmente e são absorvidos pela também pela via oral, seus efeitos nocivos são alterações no funcionamento dos músculos, cérebro e glândulas. Alguns fungicidas (Maneb, Zineb, Dithane, Gramoxone).

No Brasil existe a Lei de Agrotóxicos, que proíbe a comercialização de produtos que sejam cancerígenos, mutagênicos entre outros. Mas isso não ocorre de fato. O órgão responsável para que ocorra a fiscalização e controle dos agrotóxicos é o ministério da saúde.

Esses agrotóxicos e fertilizantes agrícolas poluem consideravelmente as nascentes de rios, açudes e os mananciais, pois são carregados pelas águas das chuvas. A água consegue dissolver um grande número de substâncias e devido a essa característica é considerada um solvente universal, o que acarreta na facilitação da sua poluição.


Há algumas análises que podem ser feitas para detectar a presença desses compostos nas águas naturais:
Pode ser utilizada a cromatografia líquida (HPLC) e a Técnica de cristalização por evaporação, que consiste na dessecação da água até formar uma película de resíduos. Essa película observada em microscópio identifica alguns cristais que se formam. Os parâmetros que podem ser usados é o pH, cor visual, acidez, cloretos, oxigênio consumido e oxigênio dissolvido, entre outros.




Bibliografia

VI. AGROTÓXICOS, disponível em

Agrotóxicos: O veneno nosso de cada dia

SANTOS, C.M., WILSON, E.M.H, QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO NO MUNICÍPIO DE HONÓRIO SERPA: ÊNFASE AO USO DOS AGROTÓXICOS, disponível em<http://www.bvsde.paho.org/bvstox/fulltext/qualidade.pdf>, acessado em 08/Abril/2011.




Crédito da imagem:





Nenhum comentário:

Postar um comentário